Vitalidade

Vitalidade

Outubro 21, 2022 Não Por Biodanza Nuno Pinto

Aconteceu na Escola de Biodanza SRT do Algarve, nos dias 15 e 16 de outubro, a maratona de Vitalidade. Um lugar onde sou sempre bem recebido, com um amor e um carinho imenso e com uma expressão que adoro: ‘és dos nossos!’. Grato aos diretores e, aos facilitadores e alunos desta escola maravilhosa.

Facilitar o tema da Vitalidade é apaixonante, pois remete para a capacidade inata que temos de gestão da energia vital para a ação e para o repouso. Foi um dos aspectos mais impactantes deste módulo, pois a maioria das pessoas, nesta cultura acelerada, consumista, orientada para o desempenho e para a performance, não se dá conta da importância do repouso, do descanso (activo!) para que a energia e a ação sejam mais intensas, logo mais produtiva, mais clarividente e mais assertiva.

Ou seja, passamos tanto tempo, num módulo de vitalidade em ação, como em repouso…

A Vitalidade garante um bom estado geral de saúde e estimula sobremaneira os restantes potenciais genéticos que a biodanza integra: o prazer (sexualidade), a expressão (criatividade), a nutrição (afectividade) e a harmonia (transcendência). Fácil entender, que quando não há vitalidade (alegria), tudo fica condicionado.

Neste módulo são destacados, cinco índices de vitalidade:

  1. Capacidade de esforço
  2. Vitalidade do movimento
  3. Estabilidade neurovegetativa
  4. Potência dos instintos
  5. Estado nutricional

Quando se vivencia esta proposta em Biodanza, na Escola ou no grupo regular, dada a sua intensidade, cada participante demonstra com clareza, a partir das suas atitudes durante as danças (vivências), ou nas partilhas verbais, qual o nível de vitalidade em que se encontra. Alguns chegaram com sintomas de sobrecarga e saíram profundamente renovados, eu diria até ‘curados’. Outros com pouca percepção do cansaço que o seu corpo trazia, apercebem-se da necessidade de descanso, com uma atitude de escuta, de um ‘corpo que fala’, e que quando escutado, pode levar a grandes transformações existenciais. Por exemplo, a regulação dos ritmos de trabalho e de vida e/ou a qualidade das relações que não podem de forma alguma, aumentar o nível de toxicidade e/ou cansaço, provocando um stress que gera doença e mal-estar. Estes ritmos/relações devem ser nutritivos e reparadores. Esta é uma informação vital, para a melhoria da qualidade de vida.

Por tudo isto, me apraz tanto facilitar este tema de Biodanza SRT, seja em grupo regular, escolas, workshops ou eventos, pois de uma forma dinâmica, lúdica, pedagógica, aprende-se tudo o que se precisa saber sobre a Vida e como viver de forma natural e organicamente.

A Vida ao Centro