caminhos para a vida

Experimentámos literalmente, o Êxtase, fomos literalmente, além de muitos limites e transcendemos, como nunca… assim foi, o módulo de Transcendência, na Escola de Biodanza SRT do Porto e aqui fica, um pequeno relato de coração cheio.

O fim‑de‑semana começou na 6a, com o primeiro de muitos encontros, de partilha de experiências entre a equipa de facilitadores. Estar entre e com colegas, estreitar os laços, rir, cuidar, ajudar e aprender e depois comer juntos, foi extraordinário .

Sábado, iniciámos o acompanhamento pedagógico, com as pautas motoras e no domingo introduzimos o resumo teórico, reforçando a aprendizagem teórica e metodológica, assim como as dinâmicas de grupo. Foi de tal forma bem acolhido, que no intervalo de domingos de manhã, dei por mim rodeado de alunos interessados em entender claramente o Modelo Teórico e de tal forma me entusiasmei, que perdi a hora…  começámos a vivência atrasados, mas pelo vosso cio de aprender, esta teoria com sangue, este saber com sabor, estou grato a tod@s.

Quanto às vivências, melhor resposta não poderia esperar, uma vez que as propostas feitas para ‘ir além dos próprios limites, superar a repressão do ego e fusionar com a totalidade’ (definição de transcendência para a Biodanza SRT), foram totalmente aceites pelo grupo.

Vivenciar o êxtase, pela sensibilização do contato e da caricia, a fluidez em transe, a elasticidade com abandono, o coro de cana divina, o transe rítmico, a regressão ao estado de criança, o transe de suspensão e alcançar sensações de plenitude, contacto com a criança divina, fusão total com o grupo e percepção de integração onto-cosmológica plena, ingresso no eterno presente e até êxtase orgástico. Tanto foi vivido e marcado na nossa pele para a Vida. E deu para tudo!!!

Sinto-me, enquanto facilitador didata e director, profundamente feliz pelos resultados alcançados e pela forma como esta turma maravilhosa, frequentemente visitada por ex-alunos, facilitadores e alunos de outras escolas acolhe e devolve o seu afecto, paixão e entrega a este processo de desenvolvimento pessoal.

Aos alun@s, à assessora, à coordenadora, à equipa de facilitadores e de supervisão, a tod@s a minha gratidão. 

A tod@s com quem partilho a viagem de carro, a dormida, os almoços e os jantares, os intervalos, períodos em que ensino, aprendo, partilho e recebo, mas mais que tudo rimos, gargalhamos, dizemos parvoíces e brincamos, tornando esta transcendência eminente, profana, quotidiana e por isso, sagrada.

Queria nomear cada um@, por tão especial ser, mas pela minha distração, alguém esqueceria, por isso, eu te abraço, pois sabes que é para ti, que eu falo: eu vejo-te!

Escola de Biodanza SRT do Porto

Uma Escola para a Vida

Nuno Pinto