A força da nossa espécie

A força da nossa espécie

Dezembro 17, 2022 Não Por Biodanza Nuno Pinto

” O nitrogênio em nosso DNA, o cálcio em nossos dentes, o ferro em nosso sangue, o carbono em nossas tartes de maçã foi feito no interior das estrelas em colapso.

 Nós somos feitos da poeira de estrelas.

Carl Sagan

Há dias em que vivemos grandes momentos e na quinta feira dia 15 de dezembro foi um destes dias!

No grupo de integração, estamos a vivenciar as Posições Geratrizes, que remetem para a História da espécie, o inconsciente colectivo, a dinâmica dos arquétipos e a sua força simbólica. Tudo de forma concreta e objectiva: pela dança. Concreta e objectiva porque todo o símbolo que passa pelo corpo é concreto, é vivo, é sentido e tem sentido.

A Posição Geratriz de Conexão com o Infinito nos lançou numa viagem galáctica literalmente e a vivemos ao jeito daquilo que podemos visualizar num documentário do cinema ou da TV. O mais recente, Our Univers ou mais antigo Cosmos, de Carl Sagan que nos remete para o facto de sermos filhos das estrelas, nascidos num berço estelar, que originou tudo o que conhecemos e vivemos.

Temos ainda os textos inspirados por Hermes Trismegisto, que já dizia, na Tábuas de Esmeraldas: “que tudo o que está em cima, é como o que está em baixo e tudo o que está em baixo, é como o que está em cima”, macrocosmos e microcosmos integrados e  unos!

Se é lindo ver os documentários e ler os livros, mais belo é ser as imagens, ser as palavras, sentir na pele a dimensão cósmica que nos constitui e ser o infinito que nos rodeia. Acabar com a escassez, com o limitado, com a pequenez e assumir a abundância, o ilimitado, a grandeza, não porque alguém te mostra ou te diz, mas porque tu o sentes. De forma, avassaladora, inegável e mobilizadora de transformações existenciais profundas.

A tua vida, muda, porque a tua perspectiva muda, mais uma vez, não pelo olhar, pelo ego ou pela mente, mas sim pela força de um corpo inteiro que te pega e leva, para a vida!

Assim foi, assim é, assim será!!!!!

A Vida ao Centro
Nuno Pinto